Em Re-construção Constante

Não adianta parar, o caminho não termina porque você cansou. Ele termina quando você chega.







sexta-feira, setembro 22, 2006

Qual o problema com os patos?

Como o cisne desliza na água negra do fim do dia, suave, como um pensamento puro num mar de lama, como a flor de lótus.

Eu queria deslizar, passar suavemente além, mas os demônios me atacam por todos os lados.

Uma mão dura e fria comprime meu coração, como uma nuvem cinza encobre o sol no inverno. Faz frio, e é a promessa da passagem das horas que me faz perdurar.

Não se pode abandonar este mundo apenas saindo dele.
É preciso passa através.

By Patinho Feio

9 comentários:

kaslu disse...

o primeiro problema dos patos é: que nós somos os patos?
o segundo problema dos patos é: todo dia quando acordo sou o mesmo pato, sempre o mesmo pato!!!
o terceiro problema dos patos, e o pior: o que faço com essa vontade de encontrar a minha família, o meu círculo, a minha espécie (de cisnes talvez!)?

Lulu disse...

Um beijo pra vcs dois...kas-li!!!

lulu disse...

O que faço com essa vontade Kaslu? O que faço com essa vontade Kali?

kaslu disse...

a resposta no mundo animal das estórias está no baby, o porquinho: pratique o impossível!
Existe alguma prática mais impossível do que um porco se transformar em um cão-pastor e o melhor cão-pastor a ponto de ganhar a competição? Porco, vc arrasou, porco!!!!

Lulu disse...

O patinho que já é feio por natureza torna-se mais feio ainda quando: ou aceita sua falsa família (ainda que pareçam cisnes belos e deslizantes), ou se deixa aceitar por ela...

Mas me diga kaslu: vc ainda se lembra o que moveu baby, o porquinho, a ponto de fazê-lo transformar-se em cão-pastor?? E da melhor espécie????

Lulu disse...

Sim...eu me lembro...
É aquele Outro que fica gritando aqui dentro dizendo: Não isso não é suficiente!!!!

kaslu disse...

pois é, um relacionamento íntimo e poderoso entre ele e seu "dono" (o Outro - o verdadeiramente humano)... mas tb porque ele foi adotado pela cachorra (mulher do cão-pastor)... e o amor (materno) da cachorra por ele, porquinho, e dele para com ela (possibilitou a criação do desejo do impossível: querer superar a própria morte pessoal e salsicha)!!! Ou da maneira mais estranha: permitiu que ele estupidamente (por causa do amor verdadeiro) se achasse um igual - isto é um cão-pastor. Em um primeiro momento achamos que somos patos, depois que não somos patos, depois que somaos mais do que patos e então nos transformamos em cisnes! But, para aparecer o cisne... o pato desaparece!

Lulu disse...

"Ou da maneira mais estranha: permitiu que ele estupidamente (por causa do amor verdadeiro) se achasse um igual - isto é, um cão-pastor."

Eu conheço bem esta história...posso reconhecer-me dentro perfeitamente dentro dela....e como posso!!!!!

kaslu disse...

Lulu, não se espante: vc pode ser um cão-pastor-porco...
Vc arrasou, porco!!!