Em Re-construção Constante

Não adianta parar, o caminho não termina porque você cansou. Ele termina quando você chega.







domingo, abril 15, 2007

The Warrior



É no momento em que ele decide não mais levantar sua espada que ele deixa de ser um gangster para se tornar um verdadeiro guerreiro.
É quando ele decida abandonar a horda fálica dos "guerreiros" de Rajput que ele descobre que nunca foi livre.
"Nunca ninguém abandona os meus serviços!" Diz o Raja gordo e decadente, o verdadeiro protótipo do Deus-diabo todo poderoso.
"Quero sua a cabeça".
Lafcadia descobre duramente que para ser livre é preciso perder tudo. E ele perde. Perde tudo o que lhe era mais caro: seu único filho.


Lafcadia segue pelo deserto. Sem espada. Sem cavalo.
Apenas o juramento: "Nunca mais vou levantar uma espada."
Lafcadia se liberta, mas ele ainda precisa fugir, ainda precisa enfrentar demônios, para encontrar o seu destino. Para se tornar aquilo que ele já é.

Tudo porque ele encontrou uma menina... Tudo porque ele quase matou a menina, e nessa menina é que vivera simbolicamente o espírito do seu filho, que ele ainda não sabe, mas vai morrer para libertar o pai.
É nesse encontro com a criança que ele "vê",
e essa é a última vez que ele levanta sua espada.


Lafcadia abandona o posto de assassino, "castrador", opressor. Se coloca no lugar do "castrado" (a cena em que ele corta os cabelos própris cabelos e os cabelos do filho é bem simbólica), do oprimido, aquele que foge para sobreviver, mas a fuga é na verdade uma jornada espiritual, um encontro consigo. Lafcadia é ainda aquele que ainda tem sangue escrito no rosto, mas aquele que se purifica, aquele que quer renascer, aquele que quer sair do sistema.
Lafcadia consegue sair da sua matrix.

Você consegue?




2 comentários:

kaslu disse...

Minha querida,
para lhe mostrar que minha dedicação é completa... vou roubar o seu post....
bj
kaslu

kaliandra disse...

Mi casa, su casa