Em Re-construção Constante

Não adianta parar, o caminho não termina porque você cansou. Ele termina quando você chega.







terça-feira, maio 16, 2006

EM CÍRCULO



1914 - UM SÓ OU VÁRIOS LOBOS

Canetti observa que, na matilha, cada um permanece só, estando no entanto com os outros(por exemplo, os lobos-caçadores); cada um efetua a sua própria ação ao mesmo tempo em que participa do bando. "Nas constelações cambiantes da matilha, o indivíduo se manterá sempre em sua periferia.

"Ele estará dentro e, logo depois, na borda e, logo após, dentro.Quando a matilha se põe em cículo ao redor de seu fogo cada um poderá ter vizinhos à direita e à esquerda, mas as costas estão livres, as costas estão expostas à sua natureza selvagem".


Gilles Deleuze & Félix Guattari (Mil Platôs, vol.1)

2 comentários:

kaslu disse...

lindo texto sobre estar em círculo...

Fábio M. disse...

Kaslu,

Acho que os autores não estão falando da beleza de estar em círculo...

Mas sim, de uma estratégia* para sempre se manter na borda, no limiar em que nem se faz parte do bando, nem se está fora dele.

"As costas expostas à natureza selvagem" é a linha de fuga do lobo, que não suportará o sentimento de "pertencimento" de um círculo, pois não é um indivíduo de massa, mas uma singularidade de matilha.

*(pode ser lido como uma estrátégia para a vida, para que você se fortaleça com o grupo, mas não chegue a criar uma identidade que dependa dele. É o elemento anômalo, que tem mais potência de afirmar sua autonomia)