Em Re-construção Constante

Não adianta parar, o caminho não termina porque você cansou. Ele termina quando você chega.







quarta-feira, dezembro 06, 2006

Ela X Ele na Cidade Sem Fim

Ela não tem preço
Nem vontade
Ela não tem culpa
Nem falsidade
Ela não sabe me amar

Ela não tem jogo
Nem saudade
Ela não tem fogo
Nem muita idade
Ela não sabe me amar
Ela não saberá

Coisa de amor
De irmão
Que ela insiste e que me dá
Toda vez que eu tento
Ela sofre
Poderia ser medo
Mas como é possível

Mas então seu amor não é meu
Nem eu o seu
Pois então que será minha amada
Amadora?

Ele não tem preço
Nem vontade
Ele não tem culpa
Nem falsidade
Ele não sabe me amar

Ele não tem jogo
Nem saudade
Ele não tem fogo
Nem muita idade
Ele não sabe me amar
Ele não saberá

Mas então seu amor não é meu
Nem eu o seu
Pois então que será meu amado
Amador?

Se eles não têm pose
Nem maldade
Eles não têm culpa
Nessa cidade
Eles não sabem amar
Coisas da vida

Vanessa da Mata

Buscamos, isso é um fato. Mas o que temos encontrado até agora?

Buscamos chegar em algum lugar que não sabemos bem onde fica, buscamos atingir um estado que não sabemos como é bem atingí-lo, só supomos. Buscamos sobre tudo companheiros de jornada que nos ajudem quando fraquejamos, que nos batam quando estamos quase por desistir, ou nos conformar, ou cair em sono profundo.

Buscamos O Amor, mas só conhemos e experienciamos a paixão e o amor entre pessoas como homem-mulher, irmão, mãe, pai, amigos. Mas o tal do Amor Universal...

Andamos meio tortos, buscando pela metade que vai nos completar, e que por fim nos tornará uma daquelas figuras completas do Banquete de Platão, um todo.








No livro O Encontro Marcado de Fernando Sabino, o personagem só se dá conta no final que o encontro macado era com ele mesmo.













No final, talvez a gente se dê conta.

10 comentários:

Um homem cordial disse...

Querida Kali,

O "tal Amor Universal" é mesmo uma impossibilidade, basta um insight para isso perceber. Só podemos saber "o que não é", enquanto "o que é" ou "a verdade" ou "o melhor companheiro de jornada" vai se apresentando, à medida em que vamos excluindo tudo "o que não é". E assim, já estaremos no "lugar que não sabemos bem onde fica". Simples assim.

LI disse...

Cordial?

Um homem cordial disse...

Sim? Pode falar, estou aqui querida Kali. Só isso?

Cordialmente,

Jardineiro disse...

O Amor é como uma flor perfumada, podeis aspirar-lhe o perfume, ou passar por ele sem o notardes. Aquela flor é para todos e para aquele que se curva para aspirá-la profundamente e olhá-la com deleite. Quer estejamos muito perto, no jardim, quer muito longe, isso é indiferente à flor, porque ela está cheia de seu perfume e pronta a reparti-lo com todos.

Jardineiro disse...

O Amor é uma coisa nova, fresca, viva. Não tem ontem nem amanhã. Está além da confusão do pensamento. Só a mente inocente sabe o que é o amor, e a mente inocente pode viver no mundo não inocente. Só é possível encontrá-la, essa coisa maravilhosa que o homem sempre buscou sequiosamente por meio de sacrifícios, de adoração, das relações, do sexo, de toda espécie de prazer e de dor, só é possível encontrá-la quando o pensamento, alcançando a compreensão de si próprio, termina naturalmente. O amor não conhece oposto, não conhece conflito.

Jardineiro disse...

Mas, não sabeis como chegar-vos a essa fonte maravilhosa e, assim, que fazeis? Quando não sabeis o que fazer, nada fazeis, não é verdade? Nada, absolutamente. Então, interiormente, estais completamente em silêncio. Compreendeis o que isso significa? Significa que não estais buscando, nem desejando, nem perseguindo; não existe centro nenhum. Há, então, o Amor.

Lulu disse...

Quem és tu Cordial Jardineiro???
Acho que tenho andado por suas pegadas!!!

Atento ao post disse...

Em atenção ao post.

O que está unificado não pode ser dissolvido; o que está integrado não pode ser destruído; se há fusão, a morte não pode dissolvê-la. Não há integração com outrem, porém com si próprio e dentro de si próprio. A fusão das entidades diferentes , em nós mesmos, faz-nos completos com a outra. Mas estar completo com outro é estar incompleto. A entidade "integrada" não é tornada completa com outra; porque é completa, está sempre num "estado completo", em todas as relações; o que é incompleto não se pode tornar completo numa relação. É ilusão pensarmos que nos tornamos completos com outro.

kaliandra disse...

É isso.
Você é um.
Um não é metade.
Você é um todo completo.
É isso o que significa o hermafrodita perfeito dos alquimistas.

kaliandra disse...

Something
Is about to give
I can feel it coming
I think I know what it is

I'm not afraid to die
I'm not afraid to live
And when I'm flat on my back
I hope to feel like I did

And hardness
It sets in
You need some protection
The thinner the skin

I want you to know
That you don't need me anymore
I want you to know
You don't need anyone
Or anything at all

Who's to say where the wind will take you
Who's to say what it is will break you
I don't know
Which way the wind will blow

Who's to know when the time has come around
Don't want to see you cry
I know that this is not goodbye

It's somewhere I can taste the salty sea
There's a kite blowing out of control on the breeze
I wonder what's gonna happen to you
You wonder what has happened to me

I'm a man
I'm not a child
A man who sees
The shadow behind your eyes

Who's to say where the wind will take you
Who's to say what it is will break you
I don't know
Where the wind will blow

Who's to know when the time has come around
I don't want to see you cry
I know that this is not goodbye

Did I waste it
Not so much I couldn't taste it
Life should be fragrant
Rooftop to the basement

The last of the rocks stars
When hip-hop drove the big cars
In the time when new media
Was the big idea
What was the big idea

U2 - Kite