Em Re-construção Constante

Não adianta parar, o caminho não termina porque você cansou. Ele termina quando você chega.







domingo, junho 08, 2008

AOS AMIGOS PERDIDOS NO CAMINHO, UM AVISO SE POR ACASO NOS ENCONTRARMOS DENOVO

Como eu posso te explicar, depois de todos esses anos, as coisas que aconteceram comigo? Nao foram os acontecimentos exeternos que me mutaram, eles apenas me modificaram um pouco. Os que aconteceram por dentro sim, esses foram os acontecimentos que me tornaram disforme, mas nao entenda mal apalavra que emprego. Me tornar disforme - ainda que o processo esteja incompleto - foi o melhor que pode me acontecer. E nessa incompletude, ainda nao perdi a forma como deveria ser, em varios relutantes aspectos permaneço a mesma: fraca, preguiçosa e desesperadamente humana, e tantas outras qualidades - boas e mas - que insistem em se agarrar a mim, ou eu a elas para ser mais precisa. Assim me mantenho dual, tao dual como qualquer outro ser que caminha sob o sol. Tao longe da impecabilidade que doi.

Eh como se com o tempo eu fosse me tornando uma colcha de retalhos, onde pedaços de fases e personalidades diferentes fossem se agregando, e ao mesmo tempo morrendo.

Cada dia eh um suicidio - pedaços que decidem voluntariamente se sacrificar. Cada dia eh um assassinato - pedaços que resistem e eu tenho que matar da forma mais violenta possivel.  Mas tem compartimentos que permanecem la, intocados e atuantes, gerando ciclos, vicios e sonambulismos, e eu devo seguir, caçadora de mim mesma, matando, queimando e quando tudo corre como deveria, integrando e sintetizando, mutando os pedaços em um. E assim sigo, nessa bizarra digestao das minhas proprias entranhas.

E sobre tudo isso, controladamente, na superficie, devemos manter o teatro, atuando, espreitando o mundo, espreitando a nos mesmos, para assim estar no mundo e nao deixarmos nos possuir por ele. Sem glamour, contando com a compreensao de poucos, compartilhando com tao poucos o mesmo ordalio, e ainda assim, todos tao solitarios, seguindo seus proprios caminhos.

Mas me pergunte se eu desejo outro caminho?
Eu vou aonde meu coraçao esta.

11 comentários:

Pato disse...

Belo texto. Se estava precisando ver algo, ele me mostrou muita coisa.
Ver quando se quer ver...olhar quando se quer olhar! Bjos Kali.

KALI, desesperadamente humana. disse...

Sao Patos (ops, partes) do processo.
Bjs, Pato.

kmarin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

hahahahaha.......

weiss disse...

http://www.somenteaverdade.com/images/universe.jpg

weiss disse...

http://pt.wikipedia.org/wiki/Imagem:Universum.jpg

Foi usada por Camille Flammarion (que não era espírita como dizem os espíritas, mas um astrônomo e alquimista) em seu livro "L'atmosphère: météorologie populaire", em 1888. Mas algumas fontes dizem que sua origem é desconhecida e Camille somente a utilizou.

"é uma gravura enigmática que é utilizada para representar a descoberta da astronomia e representa um peregrino medieval a atravessar o céu e a observar através da atmosfera como se esta fosse uma cortina que se pode afastar e observar o funcionamento do universo."

para nós em SV é a imagem do peregrino buscador da verdade que está no limite do mundo, diante da barreira intransponível.. podendo vislumbrar/pressentir o que há do outro lado....

weiss disse...

Abaixo da imagem, a inscrição "Urbi et Orbi", "para a cidade e o mundo", para o mundo e a humanidade.

weiss disse...

A inscrição original: "Um missionário medieval diz que ele encontrou o ponto onde o céu e a terra se encontram.."

lulu disse...

que fácil heim !

kmarin, hj é seu dia de sorte...aproveite que weiss enlouqueceu !

hauahuhahaua

weiss disse...

deve ser saudades, lulu

kmarin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.