Em Re-construção Constante

Não adianta parar, o caminho não termina porque você cansou. Ele termina quando você chega.







terça-feira, junho 10, 2008

Perfeiçao


"Voce deve estar se perguntando, neste ponto, como os Mestres japoneses entendem essa competiçao do arqueiro com ele  mesmo, e como eles descrevem isso; suas  respostas devem soar enigmaticas ao extremo. Para eles, a competiçao consiste no arqueiro mirando a ele mesmo - e ainda assim, nao a ele mesmo; em atingir a si mesmo, e ainda assim, nao a si mesmo, e entao se tornar simultaneamente aquele que alveja e o alvo, o batedor e a batida. Ou, para usar algumas expressoes que sao mais proximas aos coraçoes dos Mestres, eh necessario para o arqueiro se tornar, apesar de si mesmo, um centro imovel. Entao advem o supremo e final milagre: a arte se torna 'sem-arte', disparar se torna nao-disparar, um disparo sem arco e flecha; o professor se torna o pupilo denovo; o Mestre, um iniciante; o final, um começo, e o começo, perfeiçao."

in Zen in the Art of Archery
by Eugen Herrigel

6 comentários:

Anônimo disse...

“O que distingue o guerreiro do homem comum é a coragem.
O que distingue um guerreiro de outro é aquilo que ele
com sua coragem efetivamente realiza.”
By Lee in Jeet Kune Do

Anônimo disse...

O Caminho da Verdade na Arte do Jeet Kune Do, foi assim descrito por Bruce Lee:

1. Busca da Verdade
2. Consciência da Verdade e sua existência
3. Percepção da Verdade, seu conteúdo e direção como movimento.
4. Entendimento da Verdade (como a totalidade não fragmentada indicada por Krishnamurti)
5. Vivência da Verdade
6. Domínio da Verdade.
7. Esquecimento da Verdade.
8. Esquecimento do portador da Verdade.
9. Retorno à fonte original, onde a Verdade tem suas raízes.

Anônimo disse...

Então, Lee dizia que no início ele achava que um soco não era nada... com o tempo ele entendeu que o soco poderia ser a expressão de uma alma... e então o soco poderia ser tudo.... mas para atingir a perfeição, era preciso ir além... e então entender que um soco não era nada!
Semelhança interessante com o arqueiro-zen!

Anônimo disse...

Entao advem o supremo e final milagre: a arte se torna 'sem-arte', disparar se torna nao-disparar, um disparo sem arco e flecha; o professor se torna o pupilo denovo; o Mestre, um iniciante; o final, um começo, e o começo, perfeiçao.

KALI, desesperadamente humana. disse...

Engraçado, falando sobre movimento, quando eu faço, ou fiz, qualquer coisa que requeira metodo como dança, Krav Maga, ate aerobica (hoje experimentei isso na aula de Step, que iniciatico, kkk), a coisa so flui quando eu esqueço de tentar fazer o que o professor esta fazendo, esqueco de olhar se eu to bonitinha no espelho da academia e deixo sair, mas se eu tento copiar perfeitamente, degringola tudo.

KALI, desesperadamente humana. disse...

"Arco e flecha sao apenas um pretexto para algo que poderia muito bem acontecer sem eles, apenas um caminho para uma meta, nao a meta em si mesma, apenas ajuda para o ultimo e decisivo salto"

Zen in the Art of Archery
Eugen Herrigel