Em Re-construção Constante

Não adianta parar, o caminho não termina porque você cansou. Ele termina quando você chega.







domingo, junho 29, 2008

MUITO SOBRE O NADA



 Como se inicia uma história sobre o nada? Quais devem ser as primeiras palavras?

 

Quem já se sentiu preso no instante imediatamente anterior ao turning point? Congelado no tempo, num momento e lugar em que nada vai para lugar nenhum. Todos os dias passam a se repetir numa infidável fileira de dias infindáveis e inúteis, cujo o único proposito é finalizar o dia, e tentar dormir, e tentar acordar no outro dia, um dia novo. Mas nunca se acorda. Não de fato.

 

Quem consegue se perceber preso a maldição do tempo?

 

Realmente tocamos uns aos outros?

 

Normalmente eu percebo que as pessoas, quando conversam, não estão realmente dialogando, mas estão seguindo dois monólogos em paralelo. Uma finge que escuta e parece responder, mas no fundo fala para si mesma, escuta a si mesma. Eu, normalmente, não perco mais meu tempo, converso com as paredes que são boas ouvintes, exceto por um grupo muito pequeno – que ainda assim não garante que o dialogo esteja acontecendo, mas pelo menos é um grupo capaz de elicitar monólogos interessantes.

 

O caminho é solitário, mas saber disso não torna a solidão mais suportável. Não existe nada capaz de aliviar a carga e colaborar com o fazer-se desperto ao mesmo tempo. Alívio real antes do despertar é impossível. Esse tipo de alívio é so entorpecimento.

 

POR TRÁS DA VERDADE

 

Às vezes eu penso que seria mais facil se eu nunca tivesse tido um vislumbre sequer disto, ou se eu acreditasse piamente em alguma religião que me oferecesse um caminho burocrático para a salvação. Mas como um personagem do filme Matrix descobre pagando com a própria vida, não existe retorno possível, assim como não existe retorno possível a Ixtlan.

 

Mas como eu poderia querer retornar àquilo que ainda está comigo?

 

Não estamos despertos, somos sonâmbulos. Ser um sonâmbulo nos coloca numa existência mais desconfortável do que a daquele que dorme imóvel.

 

Sonâmbulos no deserto. Essa é a vida do intermezzo, nós, os imbecís, os loucos. E como é facil nos enganarmos ao confundir a chama da vela com o sol! Nós, os não-iluminados, os cegos. Tendo como desafio permanecer num mundo que descobrimos morto. Tendo a obrigação de desmontar a bomba que jaz em nosso peito. Sem tempo.

 

Não somo iluminados.

Não somos escolhidos.

Não somos enviados.

Somos condenados armando um plano de fuga. Traças tentando roer o duro tecido que encobre a tudo, a tudo que nem sabemos o que é, apenas intuímos. Mas por que confiar nessa intuição? Nos, que perdemos a esperança e só temos fé.

 

Mas isso não é a verdade.

Estas são somente palavras.             

    

14 comentários:

K disse...

A Guimarães Rosa, as batatáceas...

Ou digo: o real não está na saída nem na chegada ele se dispõe para a gente é no meio da travessia ( João Guimarães Rosa),
Ou argumento: Natureza da gente não cabe em nenhuma certeza (O Jagunço-Filósofo),
Ou compreendo: Tudo o que já foi, é o começo do que vai vir, toda a hora a gente está num cômpito. Eu penso é assim, na paridade... Um sentir é o do sentente, mas outro é o do sentidor. O que eu quero, é na palma da minha mão. (Riobaldo Tatarana)
Ou, por fim e ainda, sentencio: Eu careço de que o bom seja bom e o ruim ruim, que dum lado esteja o preto e do outro o branco, que o feio fique bem apartado do bonito e a alegria longe da tristeza! Quero os todos pastos demarcados... Como é que posso com este mundo? Este mundo é muito misturado. (Nem indio, nem português aqui)

POR ISSO, VEJA SE ME COMPREENDE: TUDO MUNDO MEU É,
PORQUE FAZ PARTE DA NATURANÇA DESSE IMPROVISO SER DE MEU!!!

By Kaslu

B disse...

Tua definição do cotidiano de quem ergueu os véus de Maia, mas permanece no limbo, longe da iluminação, é perfeita!
Só posso prestar solidariedade...vc não está só!
(se isso serve de consolo...rss)

KALI, desesperadamente humana. disse...

Nossa, eh o festival das letras? K, B...se aparecer um L (KLB) ...

B disse...

Será que o Universo tende `a simplificação?

Assim como os nomes tendem a se reduzirem a letras...

Seria a entropia um processo de construção, do SIMPLES?

Vamos ver se aparece o "L"...o "sinal"...rss

Pato ninja disse...

Você duvida?

B disse...

Eu sou um oceano de dúvidas...pra realizar esse Universo de possibilidades!

Pato ninja disse...

Se você continuar duvidando nunca verá sinal nenhum! Por outro lado, a partir do momento em que você estiver certo (se isso um dia acontecer) você não verá sinal nenhum.

O Universo tende à simplificação?
Seria a entropia um processo de construção do simples?

O que eu posso lhe dizer é que todo sistema aberto tende a se equilibar com o meio aumentando o a sua entropia...o que nós fazemos é gastar energia para manter o nosso grau interno de entropia baixo...assim não morremos.

B disse...

Huuummmm....

Dúvida numero 1....qual é o motivo desse movimento "entrópico-negativo"? A razão...

Dúvida numero 2....é melhor usar o tempo especulando sobre possibilidades não comprovadas ou isso leva a loucura?

Dúvida numero 3..... Seaquinevassiuzavski?

K disse...

O que eu posso lhe dizer é que todo sistema aberto tende a se equilibar com o meio aumentando o a sua entropia...o que nós fazemos é gastar energia para manter o nosso grau interno de entropia baixo...assim não morremos: muito bom, pato, muito bom!!!

seguinte, Kali, como faço para disponibilizar na minha primeira páginas os meus marcadores (tags)?
Pô, foi dar uma voltinha e pensei que vc não voltaria mais....

Pato ninja disse...

Respostas de Pato:

1:Não só a razão

2:Pensando assim, o chão é o limite.

3: Claro, deve ser muito legal!

B disse...

Oh, Mestre Pato Ninja...só agora percebo vossa sabedoria incomparável... permita prostrar-me a teus pés de lótus (aliás, de pato) e seguir teus passos nessa estrada, agora iluminada com tua luz e sabedoria!!!

É o que roga humildemente esse pobre Jubuti Ninja (ainda sem autorização formal...só com o protocolo de solicitação em mãos...)

Pato disse...

Hauhuahauhauhauhauh!!!!!!

ahahauhauhuahauhauh!!!

Eu sou tão inteligente, mas tão inteligente, que juro prucês!!! Confundi K com B!!! Por uma questão desconhecida, literalmente vi a letra k nos dois comentários anteriores à minha resposta de pato!

Pato disse...

Mas a resposta continua válida assim mesmo.

K disse...

kali,
cadê tu?