Em Re-construção Constante

Não adianta parar, o caminho não termina porque você cansou. Ele termina quando você chega.







domingo, junho 20, 2010

Diálogos interiores

- Feche os olhos e sinta-se…
- Eu fecho os olhos e sinto dor, pequenas dores incomodando meu corpo. Tudo dói, algo está sendo arrancado de mim.
- (Risos) Nada está sendo arrancado de você a força, você concordou em deixar ir, mas é natural que doa um pouco, Por causa do apego, e mesmo sabendo o que é, e mesmo querendo cumprir o processo, você ainda segura, fazendo difícil o que deveria ser suave, por isso dói, na alma e no corpo. O corpo também sofre as decisões do espírito, mas lembre-se que ele também sairá mais forte disto.
- Eu estou morrendo, mas nada novo está vindo no lugar, eu tenho medo que seja mais do mesmo. Me sinto tão fraca.
- Nunca será o mesmo se você está realmente deixando partir, deixe vir sem medo o que vem depois, mas não precisa se apressar. O que você chama de fraqueza não é fraqueza, é leveza. Você experimenta como fraqueza porque não está acostumada a viver sem peso. Permita-se viver no vazio, permita-se ficar vazia e experienciar esta leveza sem desespero.
- Mas estou tão fraca, digo leve, que não consigo me mover, tudo me cansa sobremaneira.
- Isto é adaptação, logo você verá que mais leve não é mais fraco, e mais vazio significa mais força, mais espaço de manejo, menos entulhos. Partes suas irão morrer, deixe-as ir em paz. Seu corpo sobreviverá. Você morrerá mas se tornará aquilo que você quer ser, aquela que já está lá, esperando por você. Abra os braços, perca tudo, abra as mãos, deixe ir, e vá.

Um comentário:

Ana disse...

Li, reli e reli.
Era justamente o que eu precisava que alguém me falasse.
Muito obrigada.