Em Re-construção Constante

Não adianta parar, o caminho não termina porque você cansou. Ele termina quando você chega.







segunda-feira, maio 22, 2006

A ROSA


Ondas em torno, ondas que atingem minha cápsula, meu casulo.
Daqui de dentro eu tremo e me encolho
Deve estar frio lá fora
Sinto aquela pontada no peito esquerdo
A dor aguda da lança que perfurou o coração de Santa Tereza
Ainda não
Eu tenho medo
Porque sou criança
Sou muito pequenina
Para ficar desnuda
Sem minha casca protetora

Mas sei que isso me adoece
Meu corpo não aceita mais certas coisas do mundo
Estou morrendo?
Estamos todos mortos!
Sou um cadáver que anda e respira
Estou presa num esquife
Como a múmia enclausurada
..................................................

Lembro acreditava, quando era menor, que ao engolir uma semente de
laranja, uma laranjeira podia brotar na minha barriga. Não imaginava que
estava bem perto da verdade, só que ao invés de laranja, é uma rosa, e ao
invés do ventre, é o coração.

Quando faremos um jardim?

2 comentários:

Lulu disse...

O jardim já está sendo cultivado Kali...aqui nessa nossa virtualidade palpável....e muito mais real do que qualquer outra coisa que vejo e conheço....
Mais uma vez....o que é real? O que é verdade?
Depende....
E esse jardim florescerá....ou ainda....
"Nossa vitória não será por acidente!!!!"

Kaliandra disse...

Quem bom ouvir, ou melhor, ler isso!