Em Re-construção Constante

Não adianta parar, o caminho não termina porque você cansou. Ele termina quando você chega.







quarta-feira, setembro 30, 2009

Canto do Cisne

Eu nao sei mais o que dizer. Talvez nao haja mais nada a ser dito.
Se eu tenho atuado?
Eu tenho, sempre que me lembro, eu tenho atuado e trabalhado duro, mas eu aida nao deixei ir, nao completamente.
Eu tenho me esforcado para fazer de Kali uma pessoa real, e para isso eu devo morrer, mas morrer eh duro e tem sido aos poucos, aos pedacos.
Um dia Kali tambem deverah ir, um dia todos irao partir.
Todas as nossas personalidades, muletas, alter-egos.
Mas no momento estou feliz em deixar Kali se espalhar em minha vida.
A Kali que eu criei, nao a deusa, que fique bem claro.
A Kali que era Kaliandra, que foi Nataraja, que veio brotando,se desevolvendo em etapas lentas.
Agora ela se faz mais e mais real. Tao real que nos ultimos dois dias meu modo de operar na realidade mudou, uma energia diferente, tao diferete que acho que nem eh de Kali. As vezes eu sinto Li presente, tomando o espaco de Kali.
Li, que era apenas uma personagem num jogo da Matrix. A Li de quem eu sempre tive inveja da forca, da capacidade de suportar a dor. Mas que eh louca, violenta e suicida.

Mas Li tambem vai morrer um dia, jah estah morrendo.

Para os que nao etenderam, sinto muito, mas saibam que sao apenas personalidades cambiantes de um mundo virtual, mas tao virtual quanto o mundo 'real'.

Para os que estavam lah, desde o inicio, saibam que eu cotinuo em circulo.
Eu contiuo em guarda, mesmo sem o comadante, porque ateh o comandante deve morrer.

4 comentários:

sk_indio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sk_indio disse...

KALI! mergulhe no Infinito do teu Ser, voe astralmente e imersa-se em Luz!

Ale Weerth disse...

Pode ser que ela vá, mas algo fica lá dentro. É como uma mancha, um buraco com a forma dela. As vezes é melhor deixa-la lá, adormecida, do que com o seu vazio.
Nunca se sabe de quando precisaremos do que ja fomos um dia.

KALI, desesperadamente humana. disse...

Sim, sempre fica algo, ainda que lembrancas.
Sempre ficara algo, porque construimos o novo com base no velho.
Eu seprevou me lembrar de voce por exemplo, mesmo que eu nao seja mais Andrea. Isto jah estah mais do que provado. Rs.